07/09/09

"-Pai, quem é que escolhe vir trabalhar para uma cabine de portagem?
-Quem não tem muitas mais alternativas, filho. Por isso é bom que procures estudar. Assim, terás mais possibilidades de escolha (ilusão...). Se o teu sonho continuar a ser, ainda assim, trabalhar numa portagem ou algo semelhante, podes escolher...
-E tu, pai, qual é o teu sonho?
- ... ...
-Pai... estás a chorar?
-Não mas não te consigo responder agora... "

Das certezas doutrinárias sobre o futuro, dos conselhos politica e socialmente correctos com honesta sensatez misturados, eventualmente, à impossibilidade de responder a algo que, para alguém com oito anos de vida, pareceria estar definido... Este é, aliás, um eco do diálogo semelhante, mantido, há um tempo atrás, com outro dos meus filhos, então com uma idade próxima desta.
Acho que eles sabem qual é o meu sonho, da mesma forma que eu sempre soube qual era o dos meus pais. Pelo menos soube que, para além de procurarem ser felizes connosco, os filhos, sem destilar a sua frustração, havia algo mais. Talvez, no fundo, estes meu filhos me conheçam melhor do que eu esperaria e saibam ler-me no rosto o sonho por cumprir, camuflado de responsabilidade e de outras coisas imprescindíveis no mundo  dos adultos, seja lá isso o que for.
Seremos sempre livros abertos para quem nos ama, felizmente, ainda que sejamos tantas vezes histórias incompletas, incertezas, confianças, espantos, admirações. Ficarão sempre os afectos a ligar-nos, a fazer-nos sorrir, a derramar cores de arco-íris, lado a lado com o negro das das palavras, tudo sobre o branco das nossas páginas.

7 comentários:

x disse...

os teus textos têm uma magia que consigo encontrar em muito poucas coisas... a realidade com uns sopros de ar fresco, um respirar fundo. obrigada *

Lídia Lopes disse...

Mais um belíssimo texto...
Um abraço

Graça Pires disse...

"Nunca se pergunta nada a um homem comovido" dizia René Char...
Um texto belíssimo e realista. Gostei imenso.
Um abraço.

lupussignatus disse...

a paleta

do

real



*abraço*

Claudia Sousa Dias disse...

muito bem.

muito bom, baudolino.


parabéns


csd

Ignotu disse...

"(...)no mundo dos adultos, seja lá o que isso for"

Entramos numa história sem saber o enredo!

Nenúfar Cor-de-Rosa disse...

Este diálogo é franco-luminoso-sincero e por isso brilha aqui sob fundo negro :-) gostei muito, obrigada pela partilha! Os sonhos, esses são para concretizar de modo a criar espaço para novos sonhos!!