02/05/07

Olhar a rua vazia, como se tudo estivesse suspenso. Tudo menos os meus sentidos, adormecidos ainda assim. Olhar os olhos daqueles que sorriem com confiança. Olhar os olhos daqueles que desejariam não viver já. Sentir que aquele carro está suspenso, com três pessoas lá dentro a rir do comentário que o condutor fez a propósito de alguém ou de alguma coisa. Sentir que aquele pai, que atravessa a rua com o filho, vai ter um qualquer encontro violento com o carro. Sentir que o chocolate que suja a boca quente da criança se vai fundir, provavelmente com o sangue que o embate fez correr. Sentir que do calor ao frio não dista nada. Sentir que nada acontece e tudo pode acontecer sem que possamos fazer mais do que assistir, como se tudo estivesse suspenso.

"Between the click of the light and the start of the dream..."

No cars go, Neon Bible, The Arcade Fire

4 comentários:

jguerra disse...

Meu caro Baudolino, mas que sentimentos tristes e direi quase negros. A sensação descrita deixa-me aterrado. Mas fá-lo com uma linguagem tão cuidadosa nas suas imagens que até assusta de tão verdadeira.

Pena tenho eu também de os nossos encontros formais não revelem esta alma sensível, deixando-a no desconhecimento (private jock para os demais).

Abraço.

Claudia Sousa Dias disse...

A insustentável impotência face ao destino.

Um abraço amigo.


CSD

rtp disse...

Impressionante, Baudolino!
Li este post ontem. Mas não soube o que dizer!
Muito forte, mais ainda se retratar uma experiência pessoal!

Baudolino disse...

Nem eu sei o que dizer a propósito do que escrevi. Apenas tentei pôr por palavras uma espécie de 'flash' que me percorreu subitamente, motivado pela audição de 'No cars go' dos Arcade Fire e pela memória de algumas experiências, conjugadas com o medo de que outras possam acontecer. Felizmente não vivi aquela situação, o que não quer dizer que não tenha vivido outra semelhante e não a tenha projectado em outros cenários. Confuso? Bem o importante é que a vida segue e que as palavras libertam se lhes entregarmos a alma. (Ainda que motivem o mais recente post)