25/07/07

Diluis-te no cinzento ou em outra cor qualquer. Deixas-te ficar com um sabor amargo nos lábios, como se nunca tivesses beijado o amor. Deixas que saia de ti a tua essência sem que, de ti, exale o teu perfume irrepetível.
Deixas-te ficar à espera, como se esperar fosse tudo o que sabes e queres fazer, tudo o que toda a gente faz à tua volta. Olhas para uma luz que já não brilha, que nunca brilhou. Contempla-la como se estivesses frente a uma epifania redentora.
Vives como se esperasses pouco mais que nada, talvez a terra húmida por cima da tua pele nua, como uma consolação, como o caloroso regresso à casa que nunca tiveste.
Não dizes de ti nem sequer que gostas que olhem para ti, que vejam o negro fundo dos teus olhos, o natural desalinho dos teus cabelos, o teu corpo delicado.
Esperas, apenas, como se esperasses uma revolução, uma metamorfose, um beijo qualquer desde que te desperte, que não te faça sentir como uma ferida que não pode, não quer, nem sabe sarar.
Como se nunca fosse tarde demais, esperas.

16 comentários:

Lana disse...

Olá
tem toda a razão nos comentários que teceu no meu blog os quais agradeço e continuo muito honrada de m visitar acredite que é verdade e eu sou mesmo assim ... na vida real e ao vivo não me escuso de dizer bem e de elogiar se assim penso e até hoje tenho tido sucesso em ser desta "estranha" (?) forma que sou ( não usual as pessoas falarem bem mas eu fui assm criada ...)
deve tb ser da profissão que escolhi ...
o que seja que aconteça dia 27 pense positivo que eu aqui estarei solidária.
depois conte-me se quiser
mais um post à altura de Bau ...
1 sorriso mto luminoso e 1 beijo
Lana

lua de inverno disse...

sim, de fora pode ver-se isto, pode encontrar-se a resignação à espera e a desistência da iniciativa; mas por dentro... por dentro, não creio que aqueles que esperam uma metamorfose consigam aguardar com a serenidade de uma criança. gostava de ver um reverso deste texto.
beijinhos,
r.

un dress disse...

talvez não por dentro...


belo. muito....!

CNS disse...

Belissimo momento este.

Subterranian \ Ultravioleta disse...

Creio que no fundo todos nós esperamos algo que não sabemos bem o que é.

luísa disse...

baudolino... não sei que diga. arrisco-me a repetir sempre o quão bonitas são estas palavras e a forma como se entrelaçam. como dão um calor na barriga quando são lidas, ou sorvidas, ou meramente contempladas.
obrigada

J. disse...

Grandioso. O texto. Já a espera... uma fuga... não é só a expectativa de uma metamorfose, é a vontade que o tempo avance, que nos faça saltar para um lugar diferente, não sabemos quando e onde, apenas diferente. E nós, cobardes, não vamos. Esperamos. Sem saber, sequer, o que esperamos. Eu espero e (des)espero. J.

filipelamas disse...

Caro Amigo,

Muitos parabéns pela conquista que, ao que julgo, nesta altura já será uma realidade!
Fico muito contente por si!

Um forte abraço e, agora, faça o favor de descansar e de desfrutar dos prazeres da vida em família!

Filipe Lamas

jguerra disse...

Olá. Queria dizer que o sol brilhou muito. Espero que no seu dia também... e tenho a certeza que sim. Uma escapadela para dizer que a resposta está quase a chegar. um abraço.

Claudia Sousa Dias disse...

como a bela adormecida...


CSD

mafalda disse...

Belíssimo texto, Baudolino. Transborda de sentimento.

Beijo.

Rhiannon disse...

Esperas, apenas, como se esperasses uma revolução...

Gosto.
Bonito texto.

S. disse...

O mais belo texto que li recentemente.

Deslumbrada.

a.filoxera disse...

Texto poético, de uma belezsa crescente.
Também eu ficarei à espera. De mais textos assim.

# disse...

E algum cansaço...

Sombr|A|rredia disse...

..E eu espero que continues a visitar-me lá no meu Soppro
;)