01/01/09

road movie 1

O que te levou a pensar que havia algo de novo por aqui? O Novo a seguir ao Ano? Não desperdices o teu tempo. Saberás sempre tarde demais que regressar aqui é perda de tempo e que voltar a casa, a esta que nunca foi tua, nunca será renovar o que quer que seja. Regressar será teres sempre na cabeça a mesma música viciada, a mesma humidade nas paredes perto do fogão, o mesmo calor na cama desconfortável e demasiado usada. Por isso, entra, bebe um café ou um chá quente que te conforte para o resto da viagem que terás de fazer. Não te iludas com a chama da lareira nem com a penumbra lânguida que vês ao fundo. Não te sintas tentada a iludir o teu corpo com o cansaço e com a necessidade de parar para retemperar forças. Feliz Ano Novo, tenho café acabado de fazer. Senta-te uns minutos e volta à estrada. Em breve a lareira terá apenas cinza, fumo. Na cama dormirá alguém que te levará a pensar, dentro de uns anos, que o desejo é uma coisa estranha. Será alguém que nunca te respeitou a não ser hoje. Aproveita. Não costuma haver presentes de Ano Novo e o teu valerá o resto da tua vida.

1 comentário:

Blas Torillo disse...

Bau, Amigo mío.

En efecto, algo nos hace parecidos y entre otras cosas es que esto que escribimos nos remite tanto a nuestras propias vidas.

Limitados somos, pero universales.

Ojalá entonces que todas las fuerzas que dan vueltas por ahí se conciten para hacernos más sabios y más solidarios.

Me encantó este post.

Te dejo un abrazo grande por el año que comienza y a tu familia, ojalá le pase lo mejor que haya en el mundo.

Cuídate mucho.

Seguimos.