21/03/07

Sonhei-te terra,
A respirar, como se o vento passasse sobre ti
E te levasse apenas o que deixas ver.
Sonhei-te terra,
A receber, como se não fosse possível semear em ti
Mas de ti tudo nascesse,
Até a vida.
Sonhei-te pó das estrelas,
Para regressar a ti,
Como se sempre tivesses estado comigo e
Como se tocar o céu estivesse à distância de estender a mão
E tocar a terra.


6 comentários:

rtp disse...

Que bom que é ler um novo post do Baudolino! Belas palavras! Nascidas da terra sonhada e do céu tocado com o estender de uma mão!

filipelamas disse...

Sempre a terra, o regresso às origens, o chão que nos anima e nos dá alento, que nos transmite segurança. Um belíssimo texto de alguém que em cada dia sente as palavras, as mastiga, as digere e as oferece a todos nós! Bem-haja por isso!

jguerra disse...

Baudolino, desta deixaste-me comovido. O texto é lindo. gosto tanto de vir ler... já o li duas vezes hoje.
Fico feliz por teres voltado... apesar de aguardar pistas (private jock).
Entretanto lanço-te um desafio. espero sinceramente que aceites. Vai ao meu blog e verás.
Um abraço

Blas Torillo disse...

Soñe tu tierra!

Es fantástico reconocerse también polvo de estrellas.

Salu2 amigo. Seguimos.

Lana disse...

Olá
de repente ficou-me o cheirinho da terra molhada num dia de primavera assim pelas 8 da manhã quando o orvalho ainda está nela deitado ...
obg pela sensação e os seus textos são sempre muito reais quase que se podem cheirar ou tocar ...
pelo menos é assim que eu os sinto!
1 sorriso mto luminoso e até breve.
Lana

filipelamas disse...

à espera de novos posts, aqui fica um sincero abraço com desejos de uma excelente Páscoa!!